segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Meu grande amigo


Eu tenho um grande amigo! 
Meu melhor amigo 
Pois, morreu para me salvar. 
Aliás, não só a mim 
Mas, também, toda humanidade. 

Quando o coração chora 
Este amigo sempre me consola 
Sempre está comigo. 
Me estende com amor sua mão 
Ampara e sustenta-me na aflição. 

Este amigo me ama e me quer bem 
Ele é o amigo verdadeiro 
Eu não o troco por ninguém. 
Pois, Ele é o amigo 
Que me ensina a fazer o bem. 

Na hora da oração 
Bem juntinho dEle estou 
Ele me ouve e me dá atenção. 

Ele em breve voltará 
Para os filhos seus buscar 
E com Ele para sempre morar. 

Jesus é este amigo 
Que anda comigo! 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

sábado, 29 de agosto de 2015

Esses versos são pra você



Você que chegou de mansinho e me mostrou 
Uma alegria contagiante 
Um amor tão singelo que não cabia em seu coração 
E deixou ser revelado pelo olhar. 
Você que alegra os meus dias com suas histórias 
E seus medos transformados em esperança 
De que os sonhos valem à pena quando 
A alma não é mais pequena. 
Você que encanta o meu olhar 
Com o seu sorriso sempre tão terno 
Mostrando-me que a vida é bela 
Porque você chegou à minha vida. 
Esses versos são pra você 
Nunca se esquecer que conquistou meu coração 
Que me fez ver o mundo de forma diferente 
Com os olhos da esperança 
No verdadeiro amor. 
Eu te procurei por muito tempo 
E quando já não tinha mais esperança 
Eu vi o seu lindo olhar 
A sorrir para mim. 
Esses versos são seus 
Eles são provas de que entrou na minha alma 
Pra ficar eternamente. 
Guarda estes versos no seu coração 
E sinta o amor que eles levam até você. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

A razão do meu amor por você



O brilho dos seus olhos rasgou a escuridão 
E dissipou a minha ilusão. 
O tempo descontinuou por um longo instante 
E a tristeza foi para bem distante. 

O amor que persevero em te revelar 
É maior que as coisas banais da vida. 
E o desejo que sinto por ti, querida, 
Maior que o próprio mar. 

Amo-te como ama o amor 
Como a alma sedenta anseia a fonte 
De água límpida e refrigerante 
Assim é o anseio de meu ser pelo teu calor. 

Sou amante de seus olhos lindos 
De sua alma singela e radiante de viver 
Amar você é ver o sol ao amanhecer 
E seus lábios sempre sorrindo. 

Que minha alma consiga expressar 
A razão do meu amor por você 
O anelo de contigo viver 
Para sempre e sempre te amar. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense 
Agradecimentos: Ao casal Denner e Aislla (Foto)

Senti no teu olhar...algo lindo


Hoje eu busquei em mim aquela sensação 
De felicidade que vi em seu olhar 
Na noite quente de verão 
Deixou demonstrar 
O coração 
Amar. 

Hoje eu deixei sair de dentro aquele amor 
Tão sublime que vem me tentar 
Sempre que lembro da flor 
Que me fez encantar 
Naquele calor 
Amar. 

Hoje eu senti no teu olhar algo tão lindo 
Que tocou fundo meu coração 
A beleza é você sorrindo 
Esfacela a solidão 
Que vai indo 
A ilusão. 

Hoje há em mim uma forte razão de viver 
Pois seus olhos encantadores 
Não me deixa esquecer 
Dos belos amores 
Que ao te ver 
São flores. 

Eu quero para sempre e sempre te amar 
E tão somente com você viver 
Esse amor no seu olhar 
Que vi ali nascer 
Sob o luar 
Crescer. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A melodia do amor eterno




A brisa do amanhecer 
Sopra o vento do amor em meu rosto 
Sinto do seu perfume o gosto 
Maravilhoso que encontrei no seu viver. 

Sou a melodia do amor eterno 
Que encontrei em seu lindo olhar 
A beleza pura do luar 
Que inspira um sentimento terno. 

Você tornou o meu amanhecer mais lindo 
Quando me mostrou seu lindo sorriso 
Sua presença ao meu lado é o que preciso 
Para que eu viva sempre sorrindo. 

Sua presença sempre tão marcante 
É o sonho que sempre desejei 
Sua boca linda que beijei 
Sempre foi tão apaixonante. 

Minhas noites já não são sentidas 
Desde que você se tornou o meu sol 
Ouço sua voz como um rouxinol 
E sinto ser curada minhas feridas. 

Sou a imagem da paixão 
Que espalho pelo ar 
É muito bom poder te amar 
E aquecer meu coração. 

Quero que esse amor tenha futuro 
E que esse futuro seja feliz 
Você é a musa que sempre quis 
Para me sentir tão seguro. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

O desejo dos olhos meus


Percebo que estou enamorado 
E outra vez me encontro sem direção 
Nas ruas da cidade vagueio 
Caminhando no rumo da sua ilusão. 

Seus olhos serenos e meigos 
Tiraram minha paz e segurança 
Ao contemplar em mim a inocência 
Que só se encontra em uma criança. 

Como uma brisa suave no amanhecer 
Surgiste mansamente diante de mim 
Causando um frescor na alma 
Depois de um calor sem fim. 

Quero gritar ao mundo inteiro 
O quanto amo perto de você estar 
Que sua fragrância é tão atraente 
E que é impossível não te amar. 

Você é o desejo dos olhos meus 
Pois estás a provocar-me o desejo 
De amar-te na eterna noite da vida 
E contemplar em ti o meu ensejo. 

Que a vida não seja tão ingrata 
E que possamos nos amar com ternura 
Seu corpo tão belo e sedutor 
É a causa da minha loucura. 

Contemplo seus olhos meigos 
Que me leva a imaginar-te em sonhos 
Amar-te em sintonia com a vida 
E esquecer os momentos tristonhos. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

Sob cujas asas te vieste abrigar


Mesmo em meio às maiores lutas 
Que sobrevieram sobre sua vida 
Rute escolheu viver entre o povo de Deus 
E não abandonou Noemi, sua sogra querida. 

Deus, que sempre está atento 
As escolhas do nosso coração 
Quando o buscamos com sinceridade 
Não afastou dela a sua benção. 

A história de Rute revela a providência 
De um Deus que nunca vai nos abandonar 
Quando confiamos a Ele o nosso caminho 
Ele estará sempre pronto a nos ajudar. 

Por mais que as lutas sejam difíceis 
E a situação da sua vida parece naufragar 
Entregue teu caminho ao Senhor e confia nEle 
Sob cujas asas te vieste abrigar. 

Ele é o socorro bem presente na angústia 
E sua alma não vai deixar sofrer 
Pois, seu amor é eterno e grandioso 
Que na cruz, por nós, veio morrer. 

Escolha viver debaixo de suas asas 
Desfrutando da sua poderosa proteção 
O Senhor é o seu refúgio e fortaleza 
Socorro bem presente na aflição. 

Creia no milagre em sua vida nesta hora 
Se procuras abrigo sob a proteção do Senhor 
Pois, Ele jamais abandona um filho seu 
Porque é Deus zeloso e protetor. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense 
Inspiração: Rute 2.12

terça-feira, 25 de agosto de 2015

São tantos segredos


São tantos segredos guardados no coração 
Tantos desejos de estar com você 
Que meus sonhos 
Já se tornaram meus companheiros 
E estão sempre comigo. 
Imagino você nos meus pensamentos 
Que você já não pode mais ir embora 
Sua presença é tão real 
Que, se apalpar no escuro, 
Posso tocar em você. 
Os meus olhos estão abertos 
E buscam o seu olhar na madrugada 
E suas mãos acariciam o meu sonho 
De abraçar o seu corpo macio. 
Não se pode esconder esse amor 
Que já não é segredo 
Pois, um amor tão grande assim, 
Não cabe nesse pequeno coração. 
São tantos segredos escondidos 
Que não se pode esconder 
Pois, o amor verdadeiro, 
Deve ser livre como os pássaros 
E voar os espaços infinitos. 
O vento leva até você nesse instante 
O sentimento do meu coração, 
Um amor tão gostoso de sentir 
E um sonho gostoso de sonhar. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Eu deveria ter segurado em suas mãos


Nesse longo tempo 
Em que seus olhos me guiaram 
Não consegui ver direito. 
O brilho do seu olhar ofuscou minha visão 
E eu vacilei. 
Quando você olhou nos meus olhos 
E de seus lábios a sentença saiu 
Não é você, sou eu! 
Eu sabia que meu destino estava selado. 
Meus pés vacilaram 
Meu coração sentiu 
E eu chorei a saudade que já sentia. 
Um abismo se abriu sob meus pés 
E a solidão entrou sem bater na porta. 
A música que tocava 
É a mesma que ouço agora 
Mas, não tem mais o encanto 
De quando ao seu lado eu a ouvia. 
Eu deveria ter segurado em suas mãos 
E caminhado ao seu lado 
Como se o amanhã nos pertencesse! 
Deveria tê-la ouvido um pouco mais 
Enviado flores 
E não pensado só em mim. 
Se isto não fosse suficiente, 
Não me sentiria o tolo de agora. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

domingo, 23 de agosto de 2015

Esses olhos que brilham para mim


Quero abrir meu coração e admirar o seu olhar 
Sentir o pulsar da sua alma e ver o seu sorriso 
Os medos e as tristezas para trás quero deixar 
Pegar em suas mãos é tudo o que mais preciso. 

Esses seus olhos que brilham para mim 
Quando olho pela janela do meu coração 
São olhos tão lindos, nunca vi outros assim, 
Que eles possam brilhar em toda estação. 

Os anseios da minha alma são dispersados 
Quando vejo em seus olhos o amor 
Que minha alma tanto desejava viver. 

Meus passos de caminhar sozinho estão cansados 
Não me deixes aqui viver sem o teu calor 
Mas, que seja para mim, um novo amanhecer. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

sábado, 22 de agosto de 2015

Escrevi sobre tudo


Escrevi sobre tudo
Tudo que um dia passou,
Pela minha mente...
Sobre o amor
Que sempre esteve
Em meu coração
Escrevi sobre o encanto
Daqueles olhos negros
Que sempre tocou
Fundo a minha alma.
Escrevi sobre a beleza
Que via em seu sorriso
Em sua forma de rir das coisas
Da alegria
Que passava ao meu coração...
Escrevi sobre a tristeza
Sim, sobre a tristeza
De ver você partir
Sem ao menos dizer um adeus...
Meus sonhos
Não ficaram escondidos
Porque os escrevi
Nas mentes daqueles que estavam
Sempre ao meu lado.
Escrevi sobre a paixão
Violenta que me arrebatou
No dia em que vi o seu olhar
E dele não pude me livrar.
Escrevi sobre a vida
Os mistérios que ela carrega
Em cada novo amanhecer.
Escrevi sobre a noite
Que sempre me trazia os sonhos
Em que andávamos de mãos dadas
Pelas estrelas.
Escrevi sobre o desejo
De estar com você
Por toda minha vida
E caminhar ao seu lado
Até o horizonte...
Escrevi sobre tudo
Sobre o amor que sinto por você
E que domina o meu interior.
Escrevi sobre tudo
Tudo que passou pelo meu coração
E continuo escrevendo
Todas as vezes que seus encantos
Tocam o meu íntimo
E os meus sentimentos.
Escrevo sobre o amor
Que vi em seu olhar.

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Por onde ando agora


Esse singelo encontro 
Que em meu sonho aconteceu 
Tirou-me a paz 
Mostrando-me um amor que nasceu. 

Seus olhos meigos 
Que invadiram minha alma 
Fizeram-me viajar em silêncio 
E tirou-me a calma. 

Por onde ando agora 
Carrego em mim o desejo 
De ter você em meu braços 
E, em minha boca, o seu beijo. 

Esse singelo encontro 
Tirou minha tristeza e solidão 
Hoje só sei pensar em você 
E seu olhar vive em meu coração. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Falando de amor


Hoje eu só queria falar de amor 
Mas nem eu mesmo entendo este sentimento. 
Eu sei que quero você aqui comigo 
Quero te abraçar e sentir o seu perfume 
Quero tocar sua pele e deixar o tempo passar 
Como se ele nos pertencesse. 
Eu quero o seu carinho e o seu amor 
Para dar sentido a minha vida. 
Por isso falo de amor 
Falo do sentimento que está no meu coração 
Do sentimento que me faz pensar em você o tempo todo. 
Tudo que vejo me lembra você 
Tudo que toco penso ser você. 
Como eu quero você aqui comigo 
É um desejo do fundo da minha alma 
Que eu não sei explicar como é 
Só sei que sinto e desejo estar com você. 
Quero acariciar a tua pele e sentir o seu toque suave 
A acariciar os meus cabelos 
Ou sou eu que quero tocar os seus cabelos? 
Não sei ao certo qual é o meu desejo 
Na verdade, pouco importa. 
O que quero mesmo é estar ao seu lado. 
Dê uma chance ao amor que sinto por você 
Deixe-se navegar nesse oceano de desejo que externo a você 
Nesta poesia. 
Quero estar ao seu lado e descansar da solidão 
Que arrasa meu coração. 
Eu quero o seu carinho e esses versos são como uma oração 
Como uma súplica pelo teu amor aqui comigo. 
Por onde andas? 
O que levou os seus olhos para longe de mim? 
Na solidão da noite eu te procuro 
Para aquecer a minha alma 
Que anseia pelos seus beijos tão singelos. 
Há em mim um amor que não me deixa pensar direito 
Que revela a dependência de minha alma por você 
Pelos seus olhos tão sedutores 
A me conquistar naquela noite de verão. 
Hoje eu só quero falar de amor 
Só quero deixar meu coração aberto 
Na esperança de que você possa contemplar 
O que escondo do resto do mundo: 
Que eu amo você! 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

O que ninguém poderia fazer


Eu estava perdido e sem esperança 
No mundo de pecado vivia a sofrer 
Não sabia a direção dos meus passos 
Nem para onde iria ao morrer. 

Vaguei sem destino pelo mundo 
Sentindo um vazio enorme na minha alma 
Sem saber o caminho certo 
Que pudesse dar-me alento e calma. 

Por meus esforços eu percebi 
Que não poderia alcançar a salvação 
Cheio de pecados e longe de Deus 
Eu chorava a minha triste situação. 

Até o dia em que ouvi uma voz 
Tão suave e meiga me dizer: 
Não temas meu filho, faço por você 
O que ninguém poderia fazer. 

Entendi a mensagem da cruz 
Que por mim o Senhor entregou sua vida 
Garantindo salvação à minha alma 
E uma eterna salvação prometida. 

Sou grato ao meu Senhor Jesus 
Pela maravilhosa salvação 
Pela paz e liberdade que deu a mim 
E a alegria que tenho no coração. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Não pertence mais ao meu mundo



Minha ingenuidade não foi te amar, 
Nem mesmo revelar o meu amor a você. 
Minha ingenuidade 
Foi pensar que você me amava. 
Os pensamentos me levaram a imaginar 
Que teus lábios seriam meus, 
Que teus sonhos, 
Que teu corpo a mim se entregava. 
Doce ilusão, 
Adentrou meu coração. 
O tempo me mostrou que isso era sonho, 
Você não mais pertence ao meu mundo 
E o sono profundo 
Me deixou tristonho. 
Sigo meu destino cruel de te amar 
Sem ser compreendido no meu amor 
Pois o que me resta dessa ilusão 
É sonhar!!! 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

A esperança de hoje


O dia amanheceu tão lindo 
Colorido e cheio de alegria 
Dos meus olhos brotaram 
A esperança do meu dia. 

Contemplar tua face sorridente 
O brilho intenso do seu olhar 
Seu sorriso tão singelo 
Que me faz cada dia te amar. 

A esperança de hoje 
É que possas sempre sorrir 
Que seu dia seja lindo 
E outras vidas venham colorir. 

Sua beleza tão singela 
De um meigo coração 
Faz a alma ter esperança 
De não mais estar na solidão. 

Deixe raiar o brilho que há em você 
Que alegra a alma da gente 
Solte sua alegria pelo mundo 
Pois, você é uma pessoa diferente. 

Cheia de encanto e magia 
Transforma o mundo com o seu olhar 
Seja sempre essa pessoa maravilhosa 
Que aprendi a admirar. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

domingo, 16 de agosto de 2015

Enterrem meu coração na curva do rio


Enterrem meu coração na curva do rio 
Na curva do Rio Paraguai 
Onde passeia o tuiuiú e os jacarés 
Onde as águas serenas 
Desse rio fazem sonhar. 
Não permitam que me tirem esta paz 
Não consigo viver sem a sua beleza 
Aqui onde nasce a felicidade 
É o lugar onde quero descansar. 
O sonho tão real 
Da beleza sinuosa desse rio 
Que encanta o meu olhar 
Não deixem tirar isso de mim 
A vontade de sonhar. 
Enterrem o meu coração na curva do rio 
Na curva do Rio Paraguai. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

sábado, 15 de agosto de 2015

Um caminho solitário


Ando por um caminho solitário 
E carrego comigo uma dor sem explicação 
De uma saudade que tortura 
De sonhos que se perderam na jornada. 

Meus passos são hesitantes tem horas 
E decisivos outras vezes 
E o medo não pode me vencer 
A distância que quero percorrer. 

Procuro encontrar em seu olhar 
A esperança que preenchia meu coração 
Mas não consigo ver os seus olhos 
Que se perderam na imensidão. 

Deixo-me vagar os pensamentos 
Na busca incessante do alento 
Que possa externar meus sentimentos 
Levados pelos ventos da noite. 

Na solidão deste caminho 
Posso refletir sobre minha vida 
Onde procuro entender 
Os mistérios que há no coração. 

Mas não se pode entender 
A razão do amor que se foi 
Da natureza escondida na alma 
Que chora a ausência da flor. 

Cerca-me de saudades de um tempo 
Que se perdeu na caminhada 
De olhos tão serenos e calmos 
Que davam esperança a minha vida. 

Meus passos agora se apressam 
Rumo a um destino final 
Onde posso descansar dessa tormenta 
Que aflige a minha alma. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

No topo da montanha (Poema)


Nunca deixe 
Que roubem os seus sonhos. 
Acredite que é possível 
Alcançar o topo da montanha 
Por mais que digam o contrário. 
Mesmo que os ventos soprem fortes 
E te faça perder as esperanças. 
Não desanime. 
Continue sua caminhada 
E você chegará ao topo da montanha. 
E quando isso acontecer você verá 
Que valeu a pena porque você terá 
Uma visão majestosa 
Das campinas a sua volta. 
Acredite sempre. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Não espere eu ir embora



Caminho por uma estrada sem fim 
Na esperança de alcançar o seu olhar 
Perambulo pelas noites sombrias 
Sem ter a noção de onde está o luar. 

Dedico-te um sentimento que me domina 
Declaro-te um amor que nasceu no coração 
Uma paixão que procuras a muito tempo 
Pois não queres mais viver na ilusão. 

Falas-me de amor que tens na alma 
Da esperança em dias felizes viver 
Queres que seja o seu horizonte tão desejado 
E que te faças o medo esquecer. 

Não espere eu ir embora de sua vida 
Sem mesmo ter tentado viver essa paixão 
Não permita que seu destino seja controlado 
Por quem não sabe o que sentes no coração. 

Vem viver comigo esse amor 
Que nos mostra a felicidade 
Para que possamos caminhar juntos 
E não ficarmos sós com a saudade. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Nessa nenhum brasileiro acredita


Ela conta cada coisa 
Fala uma história tão bonita 
Que parece coisa de outro mundo 
Mostra um Brasil que agita 
Cheio de coisa boa 
Nessa nenhum brasileiro acredita. 

Crianças nas escolas 
Com muita qualidade 
Hospitais, portos e aeroportos 
Em quase toda cidade 
Ascensão social de pessoas 
Mas isso não é verdade. 

Todos vivem felizes nesta terra 
Onde não existe pobreza 
Grandes obras são mostradas 
Num país de rara beleza 
Onde as pessoas vivem a sorrir 
Pois não existe tristeza. 

É uma propaganda enganosa 
De uma terra bendita 
Onde há um futuro promissor 
Que é de forma bem escrita 
Mas sabemos a verdade 
E essa nenhum brasileiro acredita. 

O que não querem perceber 
Que há um mal chamado corrupção 
Que corrói o sonho do povo 
E assola a base da nação 
Tira a esperança da gente 
E acaba com a população. 

E ela fala que está tudo bem 
Que a história é assim escrita 
Deixem as coisas como estão 
Que dessa forma está bonita 
Mas no fundo do coração 
Nessa nenhum brasileiro acredita. 

Deixo aqui meu desabafo 
Em forma de melodia 
Da insatisfação com essa farsa 
Que acaba com o meu dia 
Na esperança que o povo acorde 
Nos versos dessa poesia. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Como se não houvesse mais o amanhã


O tempo passa lentamente 
E o vento parece levar para longe 
Todo aquele sentimento lindo 
Como se fossem folhas espalhadas pelo chão. 
Você sorri em meus pensamentos 
E parece dar adeus com as mãos 
Enquanto se afasta 
Com aquele sorriso lindo no rosto. 
Sinto o toque de suas mãos 
A apertar a minha 
E um suor frio percorrer 
Todo o meu corpo. 
Meu coração bate acelerado 
Querendo disfarçar meus sentimentos 
Mas, meus olhos te procuram em meio à multidão. 
E você se afasta lentamente 
Como se não houvesse mais o amanhã. 
Sinto uma ausência apertar o meu coração 
E quero ouvir a sua voz 
Sua risada gostosa do outro lado da linha. 
Não permita 
Que o tempo nos afaste... 
Não deixe o amor acabar assim. 
Você nasceu para alegrar os meus dias 
E eu preciso muito de você. 
Olhe dentro de você nesse instante 
E vê se há algo de mim em você. 
Se não encontrar nada 
Então pode seguir o seu caminho 
E eu ficarei aqui. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

sábado, 8 de agosto de 2015

Pai



Nascemos e crescemos por uma razão 
Uma razão que da forma a uma alma tão querida 
Essa forma de vida precisa ser conduzida no caminho certo 
Para que possa ser alguém na vida. 

O caminho a ser seguido não é o mais fácil 
Nem o menos espinhoso 
Mas, com certeza o mais digno a ser seguido, 
Para isso é preciso ser corajoso. 

Ser pai é saber conduzir o filho no caminho justo 
Apresentar-lhe a dualidade da nossa existência 
E o ajudar a escolher o caminho da retidão 
Mesmo que precise de muita experiência. 

Se precisar caminhar ao lado do filho 
Nos momentos mais difíceis, em suas mãos segurar, 
Auxiliá-lo no momento de incertezas 
O fará ser decisivo na escolha do seu caminhar. 

O verdadeiro pai é aquele que cuida 
Que dá carinho nas horas de dor e de alegria 
Que cobra do filho aquilo que ele pode oferecer 
Que o ensina a ser uma pessoa melhor a cada dia. 

Pai é aquele que acorda no meio da madrugada 
Para ver se o filho está coberto 
Ou que nem consegue dormir 
Pensando nesse filho que ainda não está ali perto. 

Ser pai é um dom que Deus concede 
E o filho é o presente mais presente que podemos ter; 
Ser pai é ter motivo para sorrir 
Toda vez que olhar para seu anjo e vê-lo crescer. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

• Uma homenagem a todos os pais e, em especial, ao meu velho e querido Pai, Sr. Josuel. 

Na foto: Meu Pai, eu, meu irmão Márcio e minha irmã Lucinha

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Ao acordar



Hoje ao acordar 
Tenha certeza de uma coisa: 
Eu amo você! 

Amo pela simples razão 
De me render ao amor 
Que vejo em seus olhos. 
O seu olhar revela 
O amor que está em seu coração. 
Amo pela alegria 
Que sinto toda vez que estou com você 
E pela saudade que sinto 
Quando não estás aqui comigo... 
Amo porque você é incrível 
E seu amor é real em mim. 

Você é tudo o que mais quero 
O seu amor é o que espero! 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Gênesis (Sala de aula)


A sala fria 
A carteira solitária 
A espera de você. 
O sonho 
O futuro a sorrir 
Na espera de você. 
O ar desligado 
O silêncio 
Esperando você falar. 
O conhecimento 
Os livros 
Esperando seus olhos. 
Então você rompe as barreiras 
O vestibular 
E chega até aqui. 
O começo 
O princípio da carreira 
Que oferece sucesso. 
Pessoas diferentes 
Sonhos distintos 
Caminhando juntos a partir de agora. 
Que o tempo 
Nos ajude a vencer 
E a não nos esquecer 
Que a vida deve ser compartilhada. 
Ninguém é uma ilha 
E o isolamento é prejudicial 
Preciso de você 
Assim como precisa de mim. 
O sucesso é conquistado 
Com companheirismo 
Nos campos de batalha 
Na qual iniciamos agora. 
A sala já não está tão fria 
Pois o calor de cada um 
Dá-nos a idéia de vitória. 
De sucesso! 

Odair José 
Poeta e Escritor Cacerense

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Realidade fascinante


Quando pequeno pensava que era muito sonhador. 
Ficava horas e horas imaginando coisas. 
Viajando pelo mundo e sonhando de olhos abertos. 
Porque deixamos que os sonhos se vão. 
Por que não lutamos por ele? 
As perguntas continuam 
A martelar minha mente confusa ultimamente. 
Não posso deixar que destruam a minha felicidade. 
Preciso resistir e viver. 
A vida é uma sucessão de erros e acertos. 
Quando queremos acertar, notamos que erramos feio... 
A caminhada exige muito esforço 
E não podemos parar por alguma coisa 
Que nos impeça de continuar a jornada. 
Um dos meus sonhos acaba de cair e quebrar... 
Dos pedaços que recolhi devo continuar minha caminhada. 
E é isso que estou fazendo de cabeça erguida! 
Acordamos no meio da noite 
E compreendemos que o sonho acabou. 
A realidade é mais dolorida que o sonho. 
É preciso coragem para seguir 
O caminho que apresenta-nos nesse dia. 
Ergo-me das cinzas, sacudo a poeira e sigo em frente. 
E, então, percebo que a realidade é outra. 
O sonho que tinha estava na direção errada. 
A realidade é bem mais fascinante. 
E eu queria ter continuado a sonhar. 
Recomeço. 
Novas experiências. 
Novas aventuras. 
Novos sonhos. 
Tudo novo. 
Fascinante! 
O que nos mata é o medo da mudança. 
Depois que perdemos esse medo, 
Notamos que as coisas novas são sempre mais saborosas, 
Mais delicadas, mais encantadoras. 
Além disso, temos experiências 
E não vamos errar da mesma forma que a primeira vez. 
O caminho é longo. 
Desconhecido. 
No entanto, só de pensar na força de seus olhos, 
Sinto minhas forças se renovarem. 
Quero apenas viver! 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Talvez seja a última vez


Quero um sorriso seu 
Para que possas sempre dele me lembrar 
Devo lembrar-me do amor 
Que vi em seus olhos naquela manhã 
Tão linda de primavera. 
Você sorriu 
E seu sorriso tão lindo tocou minha alma 
E me fez apaixonar 
Pelos seus olhos sedutores. 
Mas, o tempo passou 
E você se afastou de mim 
E o amor já não existe 
No seu coração. 
Talvez seja a última vez 
Que venho contemplar os seus olhos 
Por isso quero ver o seu sorriso 
Para que seja a minha lembrança. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Ouça a voz de Deus


Onde você está neste momento? 
Dentro da caverna? 
Será necessário Deus enviar ventos fortes, 
Terremotos ou labaredas de fogo 
Para que você possa crer que Ele está na sua causa? 
Deus é tremendo 
E quer que ouçamos sua voz. 
Ele fala através da natureza. 
Ele conhece o seu caminhar 
E as dificuldades que tens passado. 
Deus está agindo da forma que Ele quer 
Porque Ele tem o conhecimento das coisas 
E sabe como elas devem acontecer. 
Não desista na caminhada. 
Não desanime. 
Deus fala com você e quer que você saia da caverna. 
Ouça a voz de Deus nesta hora. 
Olhe para as estrelas, para o sol, 
Para a beleza das flores, 
Para a canção dos pássaros 
E você verá 
Que Deus está falando a todo o momento. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense 
Do livro: Levante seus Olhos - Lançamento em Agosto.