segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Por um punhado de dinheiro


Na esquina da vida estou
Na espera de um dinheiro
Para que possa me alimentar amanhã
E não passe fome o dia inteiro.

Por um punhado de dinheiro
Entrego meu corpo a qualquer um
Que esteja disposto a pagar pelo prazer
Sem sentir remorso algum.

Essa é minha sina
Desde que sai de casa menina
E ao mundo perdido me entreguei.

As noites de amor intenso
Causa-me um sofrimento imenso,
Não era essa a felicidade que sonhei.


Poema: Odair

Um comentário:

  1. Odair, vc e cáceres está de parabéns, um verdadeiro poeta.

    ResponderExcluir