terça-feira, 19 de março de 2019

Foi engano


Foi engano pensar que poderia esquecer 
Um sorriso tão encantador; 
Vejo hoje que era esse sorriso 
Que dava sonho à vida e ao amor. 

Foi engano pensar que poderia viver 
Sem o brilho do seu olhar; 
Ele sempre deu luz para minha vida 
E me fizeram te amar. 

Foi engano achar que poderia 
Esquecer seus encantos 
Sua meiguice e seu amor. 

Não está sendo tarefa fácil 
Passar os dias sem saber 
Onde encontro outra flor. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

segunda-feira, 18 de março de 2019

Antes que tivesse fim


Antes que tivesse fim 
A ausência que invadia meu coração 
Seus olhos negros 
Mostraram-me uma nova razão. 

Como um pássaro alado 
Procurei o seu carinho no alvorecer 
Depois de uma noite fria 
Precisava dele para continuar a viver. 

Por algum tempo 
Pensei não ter mais o seu amor 
Pois a saudade queria 
Preencher meu coração de dor. 

Num piscar de olhos 
Vi você em minha direção caminhar 
Seu sorriso tão singelo 
A revelar-me o quanto é bom te amar. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

sexta-feira, 15 de março de 2019

Natureza


Um trovão assusta os lagartos 
Que correm e param. 
Mil formigas transportam uma grande folha 
Que está molhada de orvalho. 
Aborrecem-se os vaga-lumes 
Com a luz do sol. 
Meu espaço é infinito 
E posso correr pelos bosques. 
Como os grandes abismos 
Deixo-me andar sem rumo. 
Das sombras perdidas 
Não quero mais me esconder. 
A chuva passou 
E levou consigo minha alma. 
As formigas olham em silêncio 
A terra encharcada pelas águas. 
Quem está morto 
Nessa imensidão de mata destruída? 
O lagarto caminha em silêncio 
Sem notar o gavião que o espreita. 
Olho as nuvens que ainda são neblinas 
E não vejo o horizonte. 
Busco o sol 
Que possa me aquecer. 
A brisa ou a ventania 
Qual poderia me valer? 
É preciso consciência 
Pela nossa natureza! 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

quinta-feira, 14 de março de 2019

Longe dos seus olhos



Lembro-me o tempo bom que se foi 
A saudade de ver a luz do luar 
Com você me mostrando as estrelas 
E dando nomes a elas e sorrindo. 
Seus olhos brilhavam como elas 
E eu sempre me encantei com o seu olhar. 
E você sorria 
E seu sorriso sempre tão singelo 
Me contagiava e eu amava tudo isso. 
Longe dos seus olhos tudo é saudade 
O mundo gira devagar 
E não sinto a brisa das noites 
Tão quentes desfrutadas ao seu lado. 
Longe de seus olhos não há esperança 
Pois, falta a beleza de sua alma 
Que sempre me encantou. 
Dizer que sinto sua falta não é o bastante 
Para expressar a tristeza 
Que invade meu coração 
Nas noites frias da solidão. 
Longe dos seus olhos 
Vou caminhando sozinho 
Na esperança de um dia 
Vê-los brilhar outra vez. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

segunda-feira, 11 de março de 2019

O vento que flutua no silêncio


Chora a alma no silêncio da madrugada 
Sem que ninguém possa ouvir 
A desilusão que sufoca o coração 
E o empurra para o abismo sem fim. 
Uma tristeza sem limites 
Como dinamites a explodir o sentimento 
Derrubando-o pela escarpa do tempo 
Que não passa...tortura! 
Medo e sobressalto 
Nas vozes que perturbam-me 
Minha alma está destroçada 
Misturada a ossos e poeiras. 
Destruição que arromba os meus olhos 
Num sentimento de angústia 
Que culmina em ruínas de lágrimas. 
Mágoas soterram o meu rosto 
E vivo sob entulhos de escuridão 
Meu coração vive em pulsação 
Nas realidades de sonhos nos escombros. 
Os ruídos perturbam a minha mente 
E, no chão, desabo desconsolado 
Onde meus passos são desmantelado 
Por um caminho triste e inóspito. 
A madrugada não termina 
E minha dor arrasa-me a alma 
Meus prantos não podem ser ouvidos 
Pois o vento flutua no silêncio. 
Os gritos são abafados na escuridão 
Que dilacera o meu sentimento 
Na solidão das minhas noites 
Não há uma razão para a esperança. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

quarta-feira, 6 de março de 2019

O que posso fazer, se amo você?



A alma anela por um dia de paz 
Na caminhada solitária da vida. 
O anseio de dias menos sufocantes 
Na trajetória por mim escolhida. 

O desejo que percorre o sentimento 
Estraçalha o coração 
Transforma os sonhos reais 
Na mais pura ilusão. 

Caminho na escuridão da noite 
Tentando dar paz ao meu viver 
Mas, seus olhos me perseguem na noite fria 
Me dizendo que não posso te esquecer. 

Durante o dia escondo-me do sentimento 
E procuro nas lembranças me acalmar 
Seu perfume conduzido pelo vento 
Vem até mim e de você me faz lembrar. 

Quero esquecer o seu carinho 
Que um dia me acalmou 
Mas, não consigo deixar de pensar 
Naquela que meu coração sempre amou. 

O que posso fazer se amo você? 
É a pergunta que me alucina 
Sem ter uma resposta plausível 
Porque sua beleza me fascina. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

domingo, 3 de março de 2019

Palavras paralíticas em minha boca


Não há como conter o desejo dentro de mim 
Ele me sufoca 
Sinto-me asfixiado como que por fumaça 
A revelar o meu coração. 
Nele há uma angústia terrível 
Uma saudade 
Que não me deixa pensar direito em mim 
Pois você povoa a minha mente o tempo todo. 
Quero falar 
Expor a minha humilhação em querer-te 
Mesmo sabendo que seu coração 
Não pertence a mim. 
Mas não tenho palavras 
Que expressem a minha dor. 
Sinto que elas não saem como queria 
São palavras paraliticas em minha boca. 
E, quando me olha desse jeito, 
Como que querendo uma explicação 
Embaraço-me nas palavras 
E não consigo expressar-me a contento. 
O que fazer? 
Seus olhos fuzilam-me 
Quer uma explicação lógica 
Para estar diante de mim. 
Não consigo dizer nada 
E, então, calo-me diante de tudo 
E o silêncio passa a ser o companheiro ideal. 
Você dá de ombros 
Vira às costas e se vai. 
Fico imóvel olhando-a sumir no horizonte. 
Só resta-me sonhar. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

O louco e a sombra


Quando estou com minhas mãos encostadas em você 
E quero apertar-te junto ao meu rosto 
E eu te beijo de forma tão louca 
Que sinto beijar-te os pensamentos. 
Nesse louco desejo que sinto por ti 
Imagino toda forma de amor 
Cada sentimento que extravasa meu coração 
Leva-me ao sonho delirante de você. 
Sua pele tão suave 
Exala a mais deliciosa fragrância 
Que atiça os meus desejos mais primitivos 
E eu quero possuir-te na volúpia do amor. 
Então, como um louco, perambulo por seu corpo 
Procurando refugiar-me à sua sombra 
E descansar dos meus instintos 
Que provocas no recôndito de minha alma. 
Tu és a minha fonte escondida 
O desejo mais profundo do amor 
A flor tão desejada da primavera 
A essência do mais puro sentimento. 
Quando me deixa encostar seu corpo lindo 
E nas carícias silenciosas que promovem em mim 
Extravasa todo o sentimento louco que sinto por ti 
Sou o louco escondido na sombra que é você. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Diga-me que isso não é um sonho




Você sorri e me faz feliz 
Você esta em todo o lugar, 
Tudo que é bonito me lembra você 
Parece que você é o próprio ar. 

Encontrar você foi maravilhoso 
Te conhecer foi melhor ainda 
Mas, o máximo em tudo isso, 
Foi viver esse grande amor com você. 

Às vezes surgem pedras no nosso caminho. 
Até lagrimas já choramos, 
Mas o mais lindo de todo nosso amor 
É que, acima de tudo, nos nós amamos. 

Você foi o pouco que preencheu 
O imenso vazio do meu coração. 
Foi a estrela que surgiu de leve 
Iluminando a densa escuridão. 

Gosto muito de você 
Tenho certeza que me adora. 
Por tudo isso, e mais as aventuras que vivemos 
Meu amor, não vá embora. 

Existem milhares de coisas lindas na vida 
Mas, nenhuma tem o encanto de seu sorriso; 
Adoro ouvir a sua voz e sentir o seu calor, 
Seus beijos e seu amor são tudo que preciso. 

Quero poder viver contigo a magia de tudo 
Que seja belo no mundo risonho. 
Por favor, não me deixe só. 
Diga-me que isso não é um sonho. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

De todas as belezas do mundo


Quisera eu falar de amor 
Desse sentimento que está no meu coração 
E que não consigo disfarçar 
Em nem um momento da minha vida. 
Você é como uma estrela a brilhar intensamente 
Nas noites de minha solidão. 
É o perfume das flores 
Que encontro pelo caminho. 
Eu a amo com amor eterno 
Com aquele sentimento que transporta-me ao paraíso 
Todas às vezes que vejo o seu lindo sorriso. 
Ah! Eu vou falar de amor 
Vou construir o meu castelo de areia 
E vou sonhar em cada amanhecer. 
O que será no futuro não sei dizer 
Só o que sei é que ao seu lado quero estar. 
De todas as belezas do mundo 
Ver você sorrindo faz o meu coração feliz 
E o mundo sorri e o tempo para 
Todas às vezes que você aparece diante de mim. 
Tão meiga e singela 
Tu és tão bela 
Que não consigo expressar em palavras 
Toda essência de sua beleza 
E eternizo-a, então, no meu coração! 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Estar com você




Estar com Você é uma sensação maravilhosa, 
Sentir seus lábios no silêncio de um beijo 
Seus cabelos a tocar meu rosto 
Seu sorriso tão lindo a mostrar a sua beleza... 
Estar com Você é sentir o amor 
Amor que sai de seu coração 
E faz seus olhos brilharem de paixão. 
Estar com Você é sentir que o mundo tem coisas boas 
Que o sonho é real 
Que a felicidade existe. 
Eu aprendi a amar você 
Aprendi com seu silêncio 
Aprendi com seu sussurro 
E aprendi com suas palavras sempre tão coerentes. 
Estar com Você me faz feliz 
Encontrei em Você a segurança que precisava 
O amor que tanto almejava 
O desejo que transcendia meu coração. 
Estar com Você é o que quero por toda minha vida 
Em cada novo alvorecer 
Em cada noite que terei para viver. 
Você me completa e me faz feliz 
Estar com Você 
Eis o que me enche de felicidade. 

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Resistência


Não sinto minhas mãos 
Estão paralisadas, atrofiadas, algemadas 
E minha voz sufocada 
Já não posso gritar a revolução. 

Não há manifestações 
Que possam romper a crueldade 
A maldade, a infelicidade 
De gente sem afeto nos corações. 

Já não tem remédios com que venha curar 
Tamanha ignorância social 
De gente tão propensa ao mal 
Que destroem os que procuram amar. 

Eu quero abrir meu coração 
Falar do grande desastre racional 
De um mundo tão radical 
Que fere na alma a emoção. 

Sou um ser humano sonhador 
Que um mundo melhor deseja 
Para os meus filhos almeja 
Um mundo repleto de amor. 

Mas onde esse amor se pode encontrar? 
Se a maioria não busca viver 
Se a maioria não quer nem saber 
E nem ao próximo deseja amar? 

Não deixarei que destruam os sonhos meus 
Nem que a minha voz se faça calar 
Aos quatro cantos do mundo vou gritar 
Que não acabem com os planos seus. 

Vamos uma sociedade justa organizar 
Com ousadia e resistência 
Lutar com persistência 
Para um mundo melhor ao futuro deixar. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Não sei para onde vou


Há uma realidade em mim 
Que não deixará que me encante os meus olhos 
Pelos olhos teus 
E não mais saberá da minha dor. 

O que sei é que para onde for 
Levarei o teu olhar 
Mas, você, para onde caminhar 
Não levará contigo a minha dor. 

Um dia eu pertenci a você 
E você foi minha 
Juntos pensei que caminharíamos 
Mas, na curva da estrada você se foi. 

Aquele amor tão bonito 
Já não existe mais entre nós 
Foi levado pelos ventos do caminho 
Onde perdi o seu carinho. 

Eu te amei 
De uma forma tão linda eu te amei 
E nos meus sonhos eu te transportei 
Para o profundo do meu coração. 

Você foi embora 
Sem aviso deixou-me a sofrer 
Agora eu me vou para longe 
Onde tentarei amenizar meu sofrimento. 

Estou triste 
Mas sei que qualquer um ficaria triste 
Se não vejo mais os seus olhos 
Que alegria poderia ter na minha vida? 

Não sei para onde vou 
Não tenho um destino certo 
Dou adeus aos teus olhos lindos 
E não tenho mais você por perto. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Amor que se vê



Deixa-me falar suavemente em seus ouvidos 
As palavras do meu coração 
O sentimento que trago em meu peito 
Revelar-te-ei sem ilusão. 

Você é a razão da minha vida 
É quem me fez perceber 
Que a alegria está nos olhos 
De quem, o amor, sabe ver. 

Te amo com um sentimento 
Que de todos é muito verdadeiro 
Não quero, nesta vida, te esquecer 
Do meu sonho és o primeiro. 

Quero em seus braços me aconchegar 
Para fugir de minha solidão 
Em seus olhos vejo brilhar 
O amor que alegra meu coração. 

Você é a brisa no amanhecer 
Que aquece a minha alma 
É aquela que me faz viver 
De forma serena e calma. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Cativo às amarras da saudade


Não sei por que você se foi 
Se a saudade não te deixa ir 
Pois a solidão me acompanha 
E não consigo mais sorrir. 

As noites frias de inverno 
Trazem a solidão pertinente 
Apresentam os pesadelos 
Que perturbam minha mente. 

Quero sonhar os sonhos reais 
De um tempo de felicidade 
Mas não consigo me libertar 
Das amarras dessa saudade. 

Não entendo por que você 
Um dia, na minha vida surgiu, 
Trazendo o sol do alvorecer 
E, no fim da tarde, partiu? 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense